Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

10.06.19, Alice Alfazema
  Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, muda-se o ser, muda-se a confiança; todo o Mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades. Continuamente vemos novidades, diferentes em tudo da esperança; do mal ficam as mágoas na lembrança, e do bem (se algum houve), as saudades. O tempo cobre o chão de verde manto, que já coberto foi de neve fria, e, enfim, converte em choro o doce canto. E, afora este mudar-se cada dia, outra mudança faz de mor espanto, que não se (...)

Bom dia Portugal!

10.06.18, Alice Alfazema
  Ilustração  Vicky Álvarez     Cá nesta Babilónia, donde mana Matéria a quanto mal o mundo cria; Cá donde o puro Amor não tem valia, Que a Mãe, que manda mais, tudo profana;   Cá, onde o mal se afina e o bem se dana, E pode mais que a honra a tirania; Cá, onde a errada e cega Monarquia Cuida que um nome vão a desengana;   Cá, neste labirinto, onde a nobreza, Com esforço e saber pedindo vão Às portas da cobiça e da vileza;   Cá neste escuro caos de confusão, Cum (...)

Zé das Medalhas em a medalha vai para:

07.06.14, Alice Alfazema
Será ouro será prata? Ouro não é certamente  e a prata também está cara.   E a medalha vai para...   A vida deste país é feita para os presidentes e pelos presidentes, disto e daquilo, de mulheres apenas pequenas miragens. Continuamos em pirâmide, muitas pirâmides, muitas. Saltitam contentes, toma lá este favor para a troca, ora dá cá um e depois dá outro... Arrastam-se em discursos da treta, mais do mesmo, as mesmas caras, as mesmas cores das gravatas, a mesma laca (...)