Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Uma pergunta por dia: Uma reflexão em dia de finados?

01.11.14, Alice Alfazema
Prefiro que partilhes comigo uns poucos minutos, agora que estou vivo, e não uma noite inteira, quando eu morrer...   Prefiro que apertes suavemente a minha mão, agora que estou vivo, e não apoies o teu corpo sobre mim, quando eu morrer...   Prefiro que faças uma só chamada, agora que estou vivo, e não faças uma inesperada viagem, quando eu morrer...   Prefiro que me ofereças uma só flor, agora que estou vivo, e não me envies um formoso ramo, quando eu morrer...   Pre (...)

Oração

02.11.13, Alice Alfazema
    Não tenho por hábito visitar cemitérios, apenas vou quando tenho de ir, nunca para visitar ninguém. As minhas gentes não eram gentes de estar somente num sítio, presas de hábitos. As minhas gentes eram gentes de liberdade, por isso quando lhes quero falar vou para sítios onde os possa encontrar, onde haja liberdade, onde corra o vento, onde bata o sol, e eu (...)