Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Mães refugiadas

02.05.21, Alice Alfazema
Para muitas mães, o simples acto de ser mãe exige muito mais do que parir, dar colo, carinho, comida, amor, roupa e cama lavada. É para além disso tudo, uma enorme vontade e espírito de resiliência, que se distancia de um simples lugar de estacionamento em frente a uma escola para deixar o filho, onde não há a pressa em escolher a indumentária do dia, ou a preocupação de qual o legume favorito. Não é apenas uma luta por viver, mas também de sobreviver à crueldade do local, (...)

Porque o Dia da Mãe é sempre que um filho quer

28.04.21, Alice Alfazema
    Mãe descobri que o tempo pára E o mundo não separa o meu coração do teu Eu sei que essa coisa rara Aumenta, desassossega mas pára Quando o teu tempo é o meu   Mãe canta com vaidade Porque já tenho idade Pra saber Que em verdade em cada verso teu Onde tu estás estou eu   Mãe contigo o tempo pára Nosso amor é coisa rara E cuidas de um beijo meu Sei que em cada gesto teu Está teu coração no meu   Mãe canta com vaidade Porque já tenho idade Pra saber (...)

Diário dos meus pensamentos (45)

Dia da Mãe 2020

03.05.20, Alice Alfazema
  Ofereceram-me esta rosa logo pela manhã, fiquei feliz, estes mimos deixam-se feliz, é na simplicidade dos gestos que conhecemos a capacidade  e a sensibilidade de cada um. Obrigada. Vou colocá-la aqui, tal como te disse, para abrilhantar este meu Dia da Mãe. Foi um dia tranquilo, com muito calor, o fim de tarde a cheirar a Verão, as andorinhas andam às voltas antes de se aninharem, o Ginjas ladra por tudo e por nada, penso que está a precisar de férias dos humanos. A sobremesa (...)