Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Baixar a cabeça

04.06.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Catherine G McElroy   Quando baixas a cabeça sentes o aroma do café, quando baixas a cabeça vem-te à memória outros cafés. Sentes as férias e os dias felizes, sentes os dias de frio intenso, sentes que pertences ao mundo, sentes que as mãos que cuidaram destes grãos o fizeram com esmero. Sentes que é um privilégio poder saboreá-lo em paz ouvindo o cântico dos pássaros. É manhã fresca, é um outro dia, e aquele sabor que te percorre a garganta (...)

Conversas da escola - Encontro imediato

30.08.18, Alice Alfazema
Abri o portão e entrei sozinha na escola, a manhã ainda estava fresquinha, era fim de Agosto, os pássaros esvoaçavam por ali e a relva estava regada de fresco. Liguei o sistema, piquei o ponto e parto para a desactivação do alarme, coloco a chave na fechadura  e entro num outro local, sei que tenho pouco tempo até aquilo começar a apitar, sinto sempre um friozinho entre o entrar no espaço e o carregar na última tecla.   Já tenho os óculos colocados antes de abrir a (...)

Bom dia!

23.08.18, Alice Alfazema
Ilustração Joanna Woyda    Deixem-no lá, deixem-no lá, o papagaio! Deixem-no lá, bem preso à terra, vibrando! Aos arranques, a fazer tremer a terra, a querer voar pelo ar até pertinho do Céu… Deixem-no lá, deixem-no lá, o papagaio! Deixem-no lá viver a sua inquietação e ser verdade aquela ânsia de fugir. Não lhe cortem o cordel! Poupem o papagaio à dor enorme de cair, papel inútil, roto, pelo chão. Não lhe ensinem, ao pobre papagaio de papel, que a sua (...)