Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A nossa aldeia global

17.10.20, Alice Alfazema
“Numa primeira fase, aceitou-se e entendeu-se que doenças e fatores de risco cardiovasculares, como é o caso da hipertensão, possam ter passado para segundo plano em termos de preocupação e de atenção dispensadas por parte dos serviços de saúde e dos clínicos, de uma forma geral” “O que já não se compreende é que, passados estes meses todos, se continue a consumir a 100% todo o tempo e todas as energias em torno da pandemia em detrimento de uma doença que, diretamente (...)

Moçambique

20.03.19, Alice Alfazema
  Ilustração Erin Robinson     Não sei como conseguimos ser felizes a ver a miséria dos outros. Não sei como dormimos tranquilos enquanto outros não têm casa, nem cama nem nada. Não sei como nos sentamos à mesa e degustamos a comida muitas vezes com desdém, quando outros dormem de barriga vazia, sem choros, sem nada. Não sei como olhamos para o nosso guarda-roupa cheio e dizemos que não temos nada para vestir, quando outros têm apenas a roupa que trazem no corpo. Não sei (...)