Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Momentos retorcidos

12.06.14, Alice Alfazema
  Se eu tivesse um tronco certamente que seria assim, retorcido. À medida que o tempo passa mais me retorço e cresço retorcidamente mais e mais. Numa busca incessante, como tantos outros que tenho lido ultimamente. Os troncos desta árvore crescem na horizontal, talvez pelo retrocedimento do tronco. Coisas da vida. Da vida de uma árvore que teima em crescer, mesmo (...)

Resort

14.05.13, Alice Alfazema
  Os remendos dos pobres não se vêm, já passámos esse tempo. Li por aí, e há quem pense que os pobres são apenas  aqueles que não sabem falar, que não têm como se vestir, mendigam ou vivem de subsídios. Quem vive do salário mínimo em Portugal sabe o que é ser pobre e depender dos outros. A grande maioria são mulheres que trabalham em empregos duros. É natural que a miséria ganha não dê para espairecer. Pode haver quem diga que é melhor ter esse dinheiro que dinheiro (...)

Março

01.03.13, Alice Alfazema
Lá bem no alto do décimo segundo andar do AnoVive uma louca chamada EsperançaE ela pensa que quando todas as sirenasTodas as buzinasTodos os reco-recos tocaremAtira-seE— ó delicioso vôo!Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,Outra vez criança...E em torno dela indagará o povo:— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?E ela lhes dirá(É (...)

Uma pergunta por dia: O que é um emprego digno?

27.10.12, Alice Alfazema
Há uns dias atrás, numa reportagem televisiva um senhor que estava desempregado dizia que queria um emprego, mas que fosse, um emprego digno. Pus-me a pensar, será que o meu emprego é digno? Talvez não, pois recebo tão pouco, sendo que, é um trabalho em permanente construção, nunca falado nos canais televisivos, jornais ou revistas. Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade. Alice Alfazema

Se eu pudesse falar a todos os pais diria:

12.10.12, Alice Alfazema
  Olhem para os vossos filhos no presente, pois é nele que se encontram. Por mais que lutem pelo futuro ele ainda não chegou. Não percam o seu crescimento, nem se furtem aos seus abraços. Dêem-lhes mimos, ensinem-lhe regras sociais, valores, conversem com os vossos filhos. Não me venham falar da crise e da falta de tempo, tudo isso se inventa e reinventa. Uma conversa (...)

Uma questão de tretas

19.06.12, Alice Alfazema
   "Tirar dias de férias ou feriados aos portugueses não passam de tretas."         "A crise não está no euro, mas sim na desindustrialização do mundo ocidental em contraponto com os países emergentes e da Ásia."  

A velha

24.05.12, Alice Alfazema
    A velha vive há mais de cinquenta anos na mesma casa é um peso na sociedade, já passou fome e, volta agora a passar fome. A velha tem uma reforma de merda, no entanto tem um sorriso genuíno, os dentes é que são postiços, está só.   Está só, não tem telefone, nem comida no frigorifico; trabalhou toda a vida, o valor do seu trabalho não existe. Vive na (...)

Portugal ≠ que futuro

11.08.11, Alice Alfazema
  A falta de ambição, a resignação o mais não sei o quê...é a isso que se devem estas situações:     Sendo Portugal o terceiro maior consumidor  mundial de peixe por habitante, a seguir ao Japão e à Islândia, não se compreende porque produz menos toneladas de aquacultura, em relação com a Republica Checa, um país interior e sem mar.   Portugal possui uma zona exclusiva por onde passa a maioria do comércio marítimo para a Europa, mas tem menos de quinze (...)