Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Ironia na sociedade e na solidariedade europeia

01.06.15, Alice Alfazema
  "Escrevo de Atenas, onde me encontro a convite do Instituto Nicos Poulantzas para discutir os problemas e desafios que enfrentam os países do Sul da Europa e as possíveis aprendizagens que se podem recolher de experiências inovadoras tanto na Europa como noutras regiões do mundo. Convergimos em que o que se vai passar nos próximos dias ou semanas nas negociações da Grécia com as instituições europeias e o FMI serão decisivas, não só para o povo grego, como para os povos (...)

O que é a crise?

18.05.13, Alice Alfazema
Se os investimentos na banca caem, todos acham que é uma tragédia, mas se as pessoas morrem de fome, não têm de comer nem saúde, não se passa nada: está é a nossa crise de hoje! Papa Francisco, 18 de Maio de 2013 Alice Alfazema

11.02.13, Alice Alfazema
  Há mais aqui.   A Nossa Crise Mental Que pensa da nossa crise? Dos seus aspectos — político, moral e intelectual?  A nossa crise provém, essencialmente, do excesso de civilização dos incivilizáveis. Esta frase, como todas que envolvem uma contradição, não envolve contradição nenhuma. Eu explico. Todo o povo se compõe de uma aristocracia e de ele mesmo. Como o povo é um, esta aristocracia e este (...)

Aguenta coração

03.02.13, Alice Alfazema
  Falar do sofrimento alheio revelando uma falta de discernimento entre o bem e o mal é revelador da inteligência própria daqueles que nada têm a acrescentar ao valor da vida e de um povo. Apenas acrescentam milhões em lucros, esses feitos precisamente à conta daqueles que aguentam.    Poderá um homem ser feliz dormindo ao frio num qualquer banco de jardim? Poderá (...)

Radiografia

13.01.13, Alice Alfazema
  Reportagem televisiva:   Tema - Obesidade na adolescência.   Nas imagens relatos de uma família que fala da crise e da alimentação que agora fazem. Dois adolescentes dão a cara, não se percebe bem em que idade acaba a adolescência (parece-me no entanto que a deles já foi à algum tempo), e falam do seu dia-a-dia. Dizem que agora fazem as refeições em família, (...)