Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Dia Mundial da Criança

01.06.18, Alice Alfazema
  Ilustração Migle Kosinskaite     Tenho um livro sobre águas e meninos. Gostei mais de um menino que carregava água na peneira. A mãe disse que carregar água na peneira era o mesmo que roubar um vento e sair correndo com ele para mostrar aos irmãos.   A mãe disse que era o mesmo que catar espinhos na água. O mesmo que criar peixes no bolso.   O menino era ligado em despropósitos. Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.   A mãe reparou que o menino gostava (...)

25 de Maio de 2013 - Dia Internacional das Crianças Desaparecidas

25.05.13, Alice Alfazema
    Depus a máscara e vi-me ao espelho.  Era a criança de há quantos anos.  Não tinha mudado nada...  É essa a vantagem de saber tirar a máscara.  É-se sempre a criança,  O passado que foi  A criança.  Depus a máscara, e tornei a pô-la.  Assim é melhor,  Assim sem a máscara.  E volto à personalidade como a um términus de linha.  Álvaro de Campos      Ver 

Dia internacional das crianças desaparecidas

25.05.12, Alice Alfazema
  Cada criança é uma semente a ser preservada. Dela depende o futuro. Não é arma de arremesso, não é trapo, nem bibelot. É  ser um único, com vontades e direitos, com sonhos por viver. Aqueles que desaparecem, aqueles que vivem desaparecidos, aqueles que vivem esquecidos, aqueles que são estigmatizados, os que são explorados, violados, ridicuralizados são todos (...)