Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

5000

22.12.20, Alice Alfazema
Ilustração Olga Demidova   Era uma vez uma estrela e um estrelo que viviam no profundo azul do espaço, utilizavam a sua luz para emitirem as suas emoções e comunicarem um com o outro, assim mesmo estando longe pareciam unidos por aquilo que sentiam. Não utilizavam sorrisos, nem sabiam o que eram abraços, os seus sentimentos eram transmitidos através da canalização de uma energia mental que poderia ser utilizada sem limites. Uma vez de cinco mil em cinco mil anos sentavam-se (...)

A meio

23.11.20, Alice Alfazema
Ilustração  Lucija Mrzljak   Olhei a fotografia gasta e desbotada pelo tempo, tinha algumas nódoas no papel amarelado. Virei-a para ver se tinha alguma dedicatória. Uma letra cuidada e elegante bailava ainda no papel envelhecido. Querido, começava a linha escrita a azul fim de tarde, pelo meio algumas palavras que só eles sabiam o sentido, no fim, desta que te ama, a assinatura estava no pedaço já rasgado.   

Caminhos

Trás-os-Montes

26.10.20, Alice Alfazema
Fotografia de Pedro Rego   Precisamos de mais caminhos assim. De muitos caminhos como este. Eu gostava de ter um caminho destes só para mim. Onde eu pudesse andar sem encontrar ninguém, ouvir apenas as vozes dos pássaros, o murmulhar da água escondida entre as rochas, e o silêncio de entre os ramos. Imagino-me assim a caminhar em direcção a um outro tempo, a cada passo dado, uma maior proximidade em alcançar o (...)

Árvores andantes

18.10.20, Alice Alfazema
  Ilustração Laura J. Bobbiesi   A menina olhou a casca rugosa daquela velha árvore e fez-lhe uma vénia, o vento soprou naquele momento dando-lhe a sensação que a árvore lhe respondia. Sentia os socalcos das raízes por debaixo dos seus pés, numa ligação permanente à Terra Mãe. Até agora ainda não tinha compreendido porque não faziam das árvores monumentos vivos. Via nelas obras-primas da natureza, em cada uma havia uma sala cheia de pormenores e de histórias por (...)