Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

O mundo azul

10.01.17, Alice Alfazema
  Ilustração Junaida     Era uma vez uma menina que vivia numa nuvem azul, onde havia uma árvore com ramos azuis. Essa árvore era a única daquele mundo e nessa árvore cabiam casas entre os ramos. Lá no alto da árvore as brisas marítimas eram constantes, cheiravam a algodão doce e sabiam a sal. Os barcos atracavam ao largo, num qualquer pedaço de nuvem. As pessoas que viviam nesse mundo eram muito pequeninas e (...)

Micro contos - Um caso verídico

17.07.16, Alice Alfazema
  Ilustração  Jan Pashley   Diz a menina para o menino:   - Deveria ser proibido os homens usarem esses calções ceroulas. Deviam usar uns assim como aquele biquíni cor-de-rosa. - Qual biquíni cor-de-rosa? - Esse mesmo, em que estás com dificuldade em ver a cor.       Alice Alfazema

A liberdade

25.01.15, Alice Alfazema
Ilustração Lucía Franco   Tenho um cavalo de pau, coberto com bolinhas azuis, cavalgo nele como quem anda nas nuvens. Balanço-me em grande velocidade, tenho penas nos cabelos e sou veloz. O pássaro sussurrou-me ao ouvido que os dias estão mais longos, tenho mais tempo para me deliciar no meu baloiço. Deixei os meus sapatos a descansar, estão leves de mim, os meus pés estão libertos da prisão. Sinto a (...)

Um sorriso, por favor!

23.02.13, Alice Alfazema
     Pintura de Diego Akel   A Manuela era uma rapariga bonita e alegre. Gostava de experimentar tudo o que era novidade. Já tinha passado dos vinte quando experimentou pela primeira vez aquela malvada. Não sabia bem ao que ia. Disseram-lhe que aquilo era nice e que toda a gente experimentava. Não havia mal nisso. Foi num fim de semana de festa, a primeira vez, depois no seguinte e no outro que veio depois. Nunca mais a largou. Dizia que não era vício. Os anos passaram e ela (...)

Sentido prático

22.02.13, Alice Alfazema
A minha avó tinha um gato chamado Pirolito. E outro também chamado Pirolito, e mais outro e outro também chamados de Pirolito. Nunca houve dúvidas sobre o nome de cada gato. Cada um reconhecia o nome como sendo só seu. Se dúvidas houvessem sobre o nome de cada um todas seriam esclarecidas. Havia o Pirolito branco. O Pirolito preto. O Pirolito mansinho. O Pirolito rameloso. O Pirolito com a orelha ratada. O Pirolito gordo. O Pirolito escanzelado...   Há uns anos também tive um (...)