Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Sem papas na língua

23.02.19, Alice Alfazema
¬† Ilustra√ß√£o¬†¬†Cristian Blanxer ¬† Durante anos, na minha inf√Ęncia fui obrigada a comer papas de aveia. Aveia fervida com leite, a√ß√ļcar¬†e casca de lim√£o, no final um gema de ovo. As crostas da aveia a pegar-se √† minha l√≠ngua¬†e a papa a ficar dura e fria. Odeio papas. Come Alicinha, isso faz-te bem.¬† A colher a aproximar-se da boca e a sentir o v√≥mito a vir. Livrei-me disso. Daquela coisa pegajosa a pairar na boca. Agora s√£o as fotos de comida saud√°vel, √© por todo o lado, (...)

Quantos quilos de a√ß√ļcar comem os mi√ļdos no regresso √†s aulas?

18.09.18, Alice Alfazema
¬† Ilustra√ß√£o¬†Anna Tillet ¬† ¬† √Č v√™-los passarem com sacos cheios de gomas, parecem bandos de a√ß√ļcar¬†dependentes √† solta,¬† os putos, os putos, ¬† Os pais n√£o sabem, ou sabem, ou ent√£o n√£o querem saber, cada saco custa uma nota preta, e a dona da loja j√° tem um mercedes, ¬† mas n√£o faz mal, n√£o faz mal, ¬† a comida da escola √© que sabe mal, tem legumes e peixe com espinhas, n√£o √© docinha,¬† vamos antes comprar uma baguetezinha. ¬† Quem se importa? Quem se importa? S√≥ a (...)

N√£o aguento ver mais fotografias de panquecas empilhadas com molho a escorrer...

10.09.17, Alice Alfazema
¬† ¬† Nem de papas de aveia, nem de frutos vermelhos com banana, quer seja em frasco ou numa ta√ßa.¬† ¬† ¬† ¬† N√£o aguento, porque me d√° a mesma sensa√ß√£o no est√īmago¬†de quando vi o Ginjas a comer o pr√≥prio vomitado.¬† ¬† ¬† ¬† Ilustra√ß√Ķes de¬†Carolyn Schmitz ¬† ¬†