Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Ou isto ou aquilo

13.05.18 | Alice Alfazema | comentar
  Ilustração Monica Garwood    Ou se tem chuva e não se tem solou se tem sol e não se tem chuva! Ou se calça a luva e não se põe o anel,ou se põe o anel e não se calça a luva! Quem sobe nos ares não fica no chão,quem fica no chão não sobe nos ares. É (...)

Chuva

16.10.17 | Alice Alfazema | ver comentários (2)
 Ilustração Stanley Kerr  Neste momento está a chover. Há tanto tempo que não chove. Já tinha saudades da chuva e do cheiro a terra molhada. As formigas hão-de esconder-se das gotas de chuva. Abençoada água que cai do céu e molha a terra demasiado seca. O (...)

A chuva é uma coisa vulgar?

04.02.17 | Alice Alfazema | ver comentários (9)
Ilustração Hajin Bae As coisas vulgares que há na vidaNão deixam saudadeSó as lembranças que doemOu fazem sorrir Há gente que fica na históriaDa história da genteE outras de quem nem o nomeLembramos ouvirIlustração  Roman Muradov São emoções que dão vida

Chuva, sono, silêncio e poemas.

24.10.16 | Alice Alfazema | comentar
 Ilustração Anna Franczuk   Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva Não faz ruído senão com sossego. Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva Do que não sabe, o sentimento é cego. Chove. Meu ser (quem sou) renego... Tão calma é a chuva que se solta no ar (N (...)

Micro contos - Cheiro de terra molhada.

14.06.16 | Alice Alfazema | ver comentários (2)
    O cheiro da terra molhada transporta-me para outras dimensões, como se saísse do meu corpo e me incorporasse naquele aroma de chuva fininha e pó. É aí que me infiltro noutras sensações, que me sinto árvore, que me sinto pássaro.   Alice Alfazema

Giro

12.08.15 | Alice Alfazema | ver comentários (2)
As nuvens escuras vieram lembrar-me de como é bom ouvir a chuva e de andar debaixo dela, gostaria de ter um destes para poder ver as bagas a desfazerem-se bem pertinho do meu nariz.  Alice Alfazema