Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

"Lavamos as mãos para evitar certas palavras"

19.09.20, Alice Alfazema
  Olhamo-nos nos olhos pela internet.   Eu transmito-te este domingo à tarde, a voz do vizinho através da parede.   Tu transmites-me a distância que existe depois do que consigo ver pela janela.   Durante a noite mudou a hora e, no entanto, continuamos no tempo de ontem.   Como é raro este domingo, não podemos garantir que amanhã seja segunda-feira.   O futuro perdeu-se no calendário, existe depois do que conseguimos ver pela janela.       O futuro diz alguma coisa (...)

Dezembro - Dia 18 - Casa

18.12.19, Alice Alfazema
  Ilustração  Ann December   A tua casa é o teu mundo primário, o teu ninho, o teu porto de abrigo. Se isso não acontecer, sai daí, e procura outro lugar. Não fiques onde estás doente. Constrói de novo, como fazem os pássaros a cada ano, não penses em demasia, no tempo da construção, constrói sempre, mesmo que esteja a chover, ou vento, ou dia de muito sol. Depois descansa. Aproveita. 

#diariodagratidao 03-01-2019

03.01.19, Alice Alfazema
Ilustração Evan M. Cohen   Hoje foi um dia de muito frio, fiquei gélida no meu trabalho, bebi muito chá para me aquecer durante todo o dia. Estava tanto frio dentro do bar que era quase como se tivéssemos na rua, ou no calor da Rússia. Quando dei por mim a entrar em casa fiquei grata por sentir o calor e o conforto, e de me poder esticar no sofá e enrolar-me nas mantas.