Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Tu que caminhas que sabes sobre teu caminho?

02.01.17, Alice Alfazema
  Eles não sabem que o sonho é uma constante da vida tão concreta e definida como outra coisa qualquer, como esta pedra cinzenta em que me sento e descanso, como este ribeiro manso em serenos sobressaltos, como estes pinheiros altos que em verde e oiro se agitam, como estas aves que gritam em bebedeiras de azul.     eles não sabem que o sonho é vinho, é espuma, é fermento, bichinho álacre e sedento, de focinho pontiagudo, que fossa através de tudo num perpétuo movimento.     (...)

Pés

03.07.14, Alice Alfazema
 Ilustração Alberto Ruggieri   Existem passos difíceis de dar, outros demasiado fáceis, outros que são impossíveis. Alguns dependem da vontade, outros das circunstâncias, outros das oportunidades. Caminhar a passos largos exige equilíbrio e destreza. Caminhar curvado demonstra que o caminho nem sempre é fácil. O caminho e os pés coabitam nas mesmas emoções.   Alice Alfazema  

Caminhos

25.06.11, Alice Alfazema
  Como se no mar as ondas não se arqueassem o bastante.   Como se na terra as pedras não se elevassem o bastante.   Como se no ar as nuvens não rodassem o bastante.   Como se o azul planetário não fosse o longe bastante.   Dançam.   Fiama Hasse Pais Brandão   Alice Alfazema