Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Micro contos - A reforma

17.10.18, Alice Alfazema
  Ilustração Armando Veve     Para que queres tu que chegue depressa a reforma? Não sabes que isso te deixa mais perto da morte. Se ela não vier entretanto vive a tua reforma nos dias de folga. 

Por onde me apetecia andar

18.10.15, Alice Alfazema
  Com estas bonitas palavras percorro este caminho.     O que tentam dizer as árvores No seu silêncio lento e nos seus vagos rumores, o sentido que têm no lugar onde estão, a reverência, a ressonância, a transparência, e os acentos claros e sombrios de uma frase aérea. E as sombras e as folhas são a inocência de uma ideia que entre a água e o espaço se tornou uma leve integridade. Sob o mágico sopro da luz são barcos transparentes. Não sei se é o ar se é o sangue (...)

Faz um ano

28.03.11, Alice Alfazema
Hoje, este blog faz um ano, um ano que foi vivido intensamente, onde, houve pontes de alegria, tristeza, encontros e desencontros; um ano que, apesar de tudo, foi positivo, encorajador e gratificante. Obrigado a todos os que por aqui passaram.   Bem hajam, pela vossa visita e comentários.                Pintura de Bruno Braddell         Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que (...)