Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

ūüíč

16.11.19, Alice Alfazema
¬† √†s vezes basta uma palavra uma flor ou apenas uma p√©tala um sorriso o voo rasante das gaivotas n√£o sentir e n√£o me importar uma colher de arroz-doce, mas com a parte da canela o cheiro a mar uma pinta na folha o frio da pedra e o quente de uma respira√ß√£o o fumegar do caf√© importar-me com o teu sentir o l√°pis de cor amarela, para pintar o sol aqueles teus fios de m√ļsica que fazem estremecer uma impress√£o, mesmo que vaga, de felicidade o ondulado negro a lembran√ßa sempre (...)

Baixar a cabeça

04.06.19, Alice Alfazema
¬† Ilustra√ß√£o¬†¬†Catherine G McElroy ¬† Quando baixas a cabe√ßa sentes o aroma do caf√©, quando baixas a cabe√ßa vem-te √† mem√≥ria outros caf√©s. Sentes as f√©rias e os dias felizes, sentes os dias de frio intenso, sentes que pertences ao mundo, sentes que as m√£os que cuidaram destes gr√£os o fizeram com esmero. Sentes que √© um privil√©gio¬†poder sabore√°-lo em paz ouvindo o c√Ęntico¬†dos p√°ssaros. √Č manh√£ fresca, √© um outro dia, e aquele sabor que te percorre¬†a garganta (...)