Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Fogos abertura da época - 2019

21.07.19, Alice Alfazema
Tal como a abertura das férias da malta que trabalha está também aberta agora a época festiva dos fogos em Portugal, tempo quente, vento favorável, é só começar. É um festim, é ver o fogo devorar a floresta, ou o que resta dela, os animais que aí habitam a morrerem, as casas e os bens das pessoas que vão ficar anos sem nada, são as reportagens, são as capas dos jornais, são a contagem de gente ferida, é fotografias de bombeiros nas redes sociais. É o desnorte da (...)

Ausências

29.08.13, Alice Alfazema
Mais um bombeiro morreu, neste verão de 2013, desta vez uma mulher, com apenas vinte e um anos. Todos os anos a história dos incendiários e dos incêndios se repete, todos os anos as mesmas lamurias, sobre a prevenção, a limpeza das matas. Todos os anos há uma ausência de responsabilidades pela parte daqueles que recebem para tal.    Alice Alfazema

Pequenos nadas

28.05.12, Alice Alfazema
O homem de bigode, cinquenta e tais, vestido de vermelho tem a voz embargada, vira a cara para o lado e faz uma pausa, tentando recuperar. E fala que não cobra o transporte porque esse valor vai para a conta da farmácia. Eu tenho vergonha que haja gente que se importe mais com a delicadeza do toque da gravata do que com estes pequenos nadas.        Alice Alfazema