Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Ao Novo Ano!

31.12.20, Alice Alfazema
"Somos filhos da madrugadaPelas praias do mar nós vamosÀ procura de quem nos tragaVerde oliva de flor nos ramosNavegamos de vaga em vagaNao soubemos de dor nem mágoaPelas praias do mar nós vamosÀ procura da manhã clara ..." Zeca Afonso  Agradeço a todos os votos de Feliz Ano Novo e Desejo-vos um Excelente 2021!  

Na 1ª pessoa do plural

Guerra Colonial Portuguesa - Angola

03.10.20, Alice Alfazema
Ilustração  Pete Ryan   Os blogues são lugares surpreendentes, que nos dão também a conhecer histórias de vida há muito esquecidas. Dessa leitura e escrita de um para o outro, podemos ir por diversos caminhos, e por vezes até às memórias mais cruéis. Memórias essas bastante duras de relatar para quem as viveu.  Assim, vamos até um dos períodos renegados da nossa História recente. Nesse aglomerado de tempo, onde milhares de jovens se viram em solos desconhecidos, uns (...)

Resiliência

17.09.20, Alice Alfazema
  Vamos começar agora uma nova fase da pandemia, uma fase em que será necessário uma forte resiliência, em que devemos, mais do que nunca, estar atentos aos riscos físicos, é certo que possuímos a informação para a nossa protecção, aquela que se julga apropriada à situação. Mas ninguém nos prepara para a solidão, para o vazio, para a falta de afecto, não que não haja isto tudo, mas falta a presença, falta o calor do abraço, o toque dos beijos, e a (...)