Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Chá de violetas (6)

Miss X

21.05.20, Alice Alfazema
  O dia hoje esteve solarengo e fui ver o Rio, há muito tempo que não sentia o cheiro do Sado, já tinha saudades do seu azul, daquele azul luminoso que vibra aos nossos olhos, às vezes em sintonia com o azul claro do céu, que faz com que quando olhamos para ambos aquela harmonia se estenda até nós. Quem vem hoje aqui beber um chá de violetas, é alguém que tal como eu gosta muito do mar, (...)

Mar encantado

(aos filhos do mar)

10.02.20, Alice Alfazema
    Todas as palavras rugem repetidamente contra a rocha negra. Tremem frente ao ramo antigo. Espalham espuma em sílabas de luz. E eu mar eu que sou teu filho estou aqui, pacífico inquieto com a minha pequena oficina de palavras e quero tão só acrescentar o pálido sussurro dos meus lábios ao bater das tuas ondas.     Poema José Fanha

#diariodagratidao 31-12-2019

Balanço

31.12.19, Alice Alfazema
  Ilustração Florencia Denis   Hoje é o último dia do ano, num diário da gratidão que não cumpri escrupulosamente aqui neste espaço, no entanto é tempo de terminá-lo. Junto então o postal que mais gostei de escrever, de entre muitos, porque para mim a palavra mais importante continua a ser Liberdade.   Escrevo este texto no dia 20 de Outubro de 2019, é Domingo e está sol, ontem foi um dia de chuva intensa. Hoje o dia amanheceu luminoso, manso e fresco, levantei-me e (...)

#diariodagratidao 21-05-2019

21.05.19, Alice Alfazema
  Ilustração Renia Metallinou   A generosidade mora aqui perto, talvez dentro de ti, ou de mim, ou dele. De todo aquele que dá sem receber. Que não procura, mas encontra. Nasce de um coração grande onde crescem vontades diferentes de ser e de ter.