Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Fulmar

05
Jun23

fulmar.jpg Fotografia Daisy Gilardini

Quando o meu corpo apodrecer e eu for morta
Continuará o jardim, o céu e o mar,
E como hoje igualmente hão-de bailar
As quatro estações à minha porta.
 
Outros em Abril passarão no pomar
Em que eu tantas vezes passei,
Haverá longos poentes sobre o mar,
Outros amarão as coisas que eu amei.
 
Será o mesmo brilho, a mesma festa,
Será o mesmo jardim à minha porta,
E os cabelos doirados da floresta,
Como se eu não estivesse morta.
 
Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'Dia do Mar'

Frio

Árvore de Natal

04
Dez22

frio.jpg

 Fotografia Pedro Rego

A verdade é que o frio nos torna mais frágeis, não fomos criados biologicamente para termos resistência ao frio, vivendo somente com o nosso corpo, sem vestes nem aquecimento, dificilmente iríamos resistir à morte, não só fisicamente, mas mentalmente, é necessária uma resistência mental, mais ainda que física, para ultrapassar Invernos rigorosos.