Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Conversas da escola - Versos perdidos

23.06.18, Alice Alfazema
  Ilustração Lisa Aisato     Todas as manhãs  acordo a sorrir. Mas olho para o relógio e só me apetece dormir. Chego à escola só me apetece brincar. Mas toca a campainha e para a sala começo a andar.   Então na sala  e sento-me no meu lugar oiço a professora que começa a explicar.   Toca a campainha vamos todos lanchar. Mas chegamos ao bar e cansamo-nos de esperar.   Nesta escola gostamos de aprender No nosso futuro  de muito nos vai valer         Poema deixado (...)

Vozes de um pedaço do meu dia

14.05.16, Alice Alfazema
Há dez anos que trabalho numa escola, este ano pela primeira vez estou no bufete, faço sandes, e mais sandes. Sinto na pele e nos músculos que a minha formação, aqui na escola, foi aproveitada e canalizada para o estômago. Por vezes isso dá-me azia. Hoje deixo-vos um pedacinho do que oiço no meu dia-a-dia, atrás de um balcão.   Bom dia! Dê-me uma sandes de fiambre! Quero um coisinho daqueles. Obrigada. Um café, por favor. Uma bolinha de manteiga, com muita manteiga. (...)