Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

O rapaz dos três corações

13.02.19, Alice Alfazema
Era uma vez um rapaz que tinha três corações. Um do lado esquerdo, outro do lado direito, e o terceiro nas costas. No do lado esquerdo guardava as emoções que tinha sentido no passado,  num canto ficava a sua infância no campo e na praia, e no outro as aprendizagens  que tinha feito enquanto brincava com os amigos. No coração do lado direito, tinha arrumadas todas as peripécias do quotidiano diário enquanto adulto, alguns males de amor, um sonho escondido e preocupações com (...)

As janelas são lugares mágicos?

05.04.18, Alice Alfazema
    Serão as janelas lugares mágicos que transformam a vida? À janela a solidão transforma-se. A pessoa que está só junta-se aos que passam, rodeia-se de vozes e de sons da natureza, vê para além da parede e do cortinado, a uns escassos metros estaria completamente ignorada, ali naquele espaço é vista e às vezes reconhecida.    À janela colocamos a nossa roupa, as nossas plantas que gostamos tanto, deixamos que o sol entre por esses buracos esculpidos na parede. (...)

Uma mão cheia

27.01.18, Alice Alfazema
  Longe parecerá o dia em que os vermes nos venham comer, que passem por nós já frios e imóveis, em que a nossa vontade será nula perante a Natureza das coisas. E crescerão flores sobre nós e pássaros hão-de poisar nos seus ramos. Tão longe que será tão breve, como uma chuva miudinha que parece não molhar.     E a pele será comida, nosso berço aquele barro vermelho, aos poucos nos havemos de transformar, de sólido a líquido, de líquido a pó. E alguém agarrará (...)

Ano-Novo - Feliz 2018!

31.12.17, Alice Alfazema
  Ilustração Boyoun Kim     Receita de ano novo Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se (...)

Meu bolo de morangos

17.04.17, Alice Alfazema
Aqui está o meu bolo de morangos, leve, levezinho, foi-se num instantinho. É vermelho, é encarnado, é branco, é rosa clarinho. É doce, mas tem toques de limão.          É assim o amor, a amizade e a vida, às vezes é doce outras tem toques de limão. São etapas, fases, luas, são jeitos de ser, são coisas banais, outras singulares, uns dias assim outros assado.      O meu amor tem lábios de silêncio e mãos de bailarina e voa como o vento e abraça-me onde a solidão (...)