Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Almareada

31
Mai20

nuvens.JPG

Ilustração Mic Salvagno

 

E eu que tantas vezes tive a oportunidade de comer e não comi, porque dizia que não gostava, fiquei agora a salivar por lembranças, mas também por sabores, quem sabe não vá passar a gostar.

 

Ontem comi berbigão da praça. Guardei-lhe o caldo, seus sucos misturados com cebola picada, alho, coentros e azeite. Nesse caldo, cairá, logo mais, o carolo de milho, que farei por almarear* de tanto o mexer com a colher de pau, contrariado-lhe as bolhas e os salpicos que vai querer soltar enquanto coze. Umas pequenas gambas hão de cair nas papas ao final da cozedura. A anteceder o prato de xerém, terei aberto, de novo com alho e coentros, as conquilhas que apanhei hoje de manhã, pela maré.
 
*deixar tonto
 
 

Coisas do nosso tempo - Cavalos de Guerra

04
Nov19

 

"Aquela que foi considerada a maior comunidade de cavalos-marinhos do mundo, enfrenta hoje sérios riscos de desaparecimento.
Uma equipa de mergulhadores, fotógrafos e cientistas embarcam numa missão pelas águas labirínticas da ria Formosa, com o objetivo de salvar um dos tesouros mais valiosos de Portugal, o enigmático cavalo dos mares."

 

 

Um filme de João Rodrigues

Olha a bolinha!

17
Ago19

O homem das bolinhas de Berlim caminha sem cessar pela praia, gritando sem se cansar: olha a bolinha!.  Percorre a areia dourada e quente, e na pele traz um bronzeado de fazer inveja, tem músculos de quem pratica caminhada, na cara um sorriso de quem quer cativar. As crianças adoram-no, como se fosse um palhaço num circo de praia. Na água os peixes brincam às escondidas.