Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Conversas da escola - Prisioneiro sem sandes

09.10.18, Alice Alfazema
São três e meia da tarde, já tocou há muito para a entrada, eis que chega um belo jovem, no auge dos seus catorze anos, vem cheio de fome, não sabe o que andou a fazer durante o intervalo, está apressado, muito irritado, exigente, faço-lhe uma pergunta de rotina:   - Estás a ter aulas? - Sim. - Então não levas nada, tens que ir para a aula. A conversa continua, cheia de respostas animadas. - É assim, estás a ter aulas, tens de ir para a aula, queres vir aqui, vens no (...)

Conversas da escola (53)

13.12.11, Alice Alfazema
  - Gostava de ver os meus colegas fazerem um teste de cultura geral, ou de argumentação...aí é que se veria quem realmente sabe. Decorar é fácil, difícil é saber.                 Alice Alfazema

Plantei girassóis. Semeei estrelas.

11.11.10, Alice Alfazema
  "Das mãos que me vestiram e acarinharam em criança, guardei os gestos de silêncio e ternura.   Em vibração e alegria adolesci.   Nas margens dos voos e das vertigens amadureci.   Bebi o sol e mar, mergulhei as mãos no azul, provei a água dos frutos, sorvi o orvalho das rosas.   Com estes fios, por dentro, me teci, me cobri e descobri.   Com eles atravessei poentes e alvoradas, sulquei caminhos, subi montanhas.   Plantei girassóis. Semeei estrelas."