Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Meia-idade

03.05.16, Alice Alfazema
¬† Ilustra√ß√£o¬†Alice Lin ¬† √Č f√°cil reconhecer que j√° estamos na meia-idade. Meia-idade √© quando tu acordas pela manh√£ e est√°s cheia de dores, os ossos estalam, mas ao fim de dez minutos os sintomas melhoram. ¬† Alice Alfazema ¬† ¬†

Imaginar

19.09.15, Alice Alfazema
        Sei que os campos imaginam as suas próprias rosas. As pessoas imaginam os seus próprios campos de rosas. E às vezes estou na frente dos campos como se morresse; outras, como se agora somente eu pudesse acordar.   Herberto Helder   Alice Alfazema

Acordar

11.01.11, Alice Alfazema
    Dorme meu filho depressa, dorme que a noite já vem, o teu pai está tão cansado de tanta dor que ele tem.   Dor no lombo e no espinhaço, no peito e no coração, dor de estar feito em bagaço, dor de tanta exploração.   Dorme meu filho depressa, dorme que a noite já vem, o teu pai está tão cansado, tão cansada tua mãe.   Tão cansada de esfregar as escadas que tem a vida, tão cansada de chorar, tão cansada, tão sofrida. Dorme meu filho depressa, dorme que a noite já vem, do teu pai só herdarás