Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diário dos meus pensamentos (29)

17.04.20, Alice Alfazema
Fotografia Artur Pastor   Tenho saudades dos jardins, dos pequenos recantos, e de apreciar os cuidados dispensados a cuidar da flores e das plantas, ainda tenho os dois bilhetes que me ofereceram para uma visita à Quinta da Regaleira, tenho saudades de imaginar quem se sentou na sombra de uma mesma árvore num ano e depois no ano seguinte, e no outro, e no outro depois do outro.    Se me perguntarem o que farei em primeiro lugar no fim deste confinamento, será sem dúvida passear de (...)

Poemas, telas, rosas e tranquilidade

17.04.14, Alice Alfazema
  a lavish helpingof raw linenechoes as it falls into placethe sun steeps the white wallsa song rambles and floatsand the voice of paintin all of its graininesssings freely in gesturemelding back into itselfas history flirts about in my time  Pintura e poema Darlene Cole     Alice Alfazema

Visão

07.04.14, Alice Alfazema
  Os meus olhos são uns olhos. E é com esses olhos uns que eu vejo no mundo escolhos, onde outros, com outros olhos, não vêem escolhos nenhuns.   Quem diz escolhos, diz flores. De tudo o mesmo se diz. Onde uns vêem lutos e dores  uns outros descobrem cores do mais formoso matiz.   Nas ruas ou nas estradas onde passa tanta gente, uns vêem pedras pisadas, mas outros, (...)

Frases de 74 in Politiquices

28.12.10, Alice Alfazema
    Ao folhear um livro encontrei estas frases:   Mortos na vala comum Ocupai o Panteão   Abaixo o Black & Decker Viva a foice e o martelo.   Os três pastorinhos eram da CIA (no muro da igreja)   Deus é parvo! Parvo és tu! Deus. (alguém acrescentou e assinou.)   Abaixo os ovos estrelados os pintainhos têm direito a nascer...   Deixemo-nos de Barreirinhas, vamos ao salto em altura!   O socialismo está em construção, visite o andar modelo.   A (...)