Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Conversas da escola - Despacha-te

19.05.18, Alice Alfazema
Está calor e é tempo de saborearmos um geladinho, mas - por vezes existe um mas - temos um horário rígido para a venda de gelados, só os vendemos a partir das quatorze e trinta. No entanto, a partir das duas da tarde já a malta anda de roda do balcão para ver se cai alguma coisita:     - Ó Contina a que horas é que se pode comprar gelados?  - Vá lá! Está quase na hora. - Mas porque é que tem de ser a essa hora? - É só hoje. Vá lá...   E por aí a diante. Não adianta (...)

Força oceânica

18.11.17, Alice Alfazema
      Eu não tinha este rosto de hoje, Assim calmo, assim triste, assim magro, Nem estes olhos tão vazios, Nem o lábio amargo.   Eu não tinha estas mãos sem força, Tão paradas e frias e mortas; Eu não tinha este coração Que nem se mostra.   Eu não dei por esta mudança, Tão simples, tão certa, tão fácil: — Em que espelho ficou perdida a minha face?         Tenho fases, como a lua Fases de andar escondida, fases de vir para a rua… Perdição da minha vida! Perd (...)