Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Para que serve a voz

24
Abr24

 

IMG_20240418_084656.jpg

Nestes dias levados entre notícias de guerra e vozes de Abril, recolho-me ao meu silêncio e penso...apenas penso, sem dar voz ao pensamento, porque me sinto estranha entre os iguais, reconheço que a voz temos de a partilhar, num acaso ou por obrigação, mas o pensamento não, continua meu (por enquanto), até que me atreva ou que julgue necessário partilha-lo.

IMG_20240418_084646.jpg

É com surpresa que identifico como dias comuns aqueles em que passo em silêncio, não é com magoa que penso nisto é antes como uma reflexão binária daquilo que fui e do que sou, à espera da transformação plena que há-de vir, lembro-me então do canto da cigarra, tão mal afamada em analogia à formiga, é mais fácil ver o carreiro do que saber quantos anos estão debaixo de terra as cigarras até poderem deitar cá para fora o som da sua voz, que interessa se é num único e derradeiro Verão, o que ficou da história é aquilo que se sabe, que interessa somente aparecer, pode ser em forma de grito, ou em leve surdina engalanada de sorriso. 

IMG_20240418_084642.jpg