Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Refugiados

Shamsia Hassani

24.08.21, Alice Alfazema
As I remember I hid my identity to avoid any mistreatment by others for my identity and nationality. To avoid harm or at least reduce the amount of it.When we were immigrants in Iran, we dressed like Iranians and spoke in their accent. We were very happy that no one understood that we were Afghans, but we had a strange feeling in our hearts, even though we had not sinned, we were still scared. Whenever we found ourselves in the same colors as the crowd around us, we felt safe, just like (...)

Jogos Olímpicos Tóquio 2020

mas que na realidade foram em 2021

06.08.21, Alice Alfazema
Ana Marcela Cunha, medalha de ouro na maratona aquática, a fotografia é de Jonne Roriz   Considero esta fotografia mística, onde o mistério das águas escuras fica desvanecido pelas braçadas audazes de Ana Marcela. Na prova de que outros jogos se jogam abaixo da linha de água. Pudéssemos nós ver para além do que está visto, e veríamos que além e aquém debaixo de nós e acima de nós há vida e desejo de viver. E que tudo poderia ser tão diferente se tivéssemos sempre (...)

Pedras da calçada

09.07.21, Alice Alfazema
Muitas das nossas acções, juntando uma a uma, alinhadas ou desencontradas dariam para fazermos um longo passeio de pedra calcetada, dando espaço, fazendo aquela curva inesperada de um dia que se foi, escolhendo as pequenas, as defeituosas, dando um jeito nas ponteagudas.  Quem sabe dando espaço a uma oportunidade de crescimento, ignorando balelas, deixando ir. De cócoras, ao sol, de joelho forçado ao chão, calcando tudo, até alisar o caminho. E quando menos preveres acontece. (...)

Onze anos de blogue

Alice Alfazema

01.04.21, Alice Alfazema
Ainda olho para o meu blog e não sei em que categoria o hei-de classificar, não tem uma escrita consistente com o mesmo tema, é assim por dizer, aquilo que "me dá na bolha", quando vejo que termos de pesquisa são utilizados pelos visitantes para chegar até cá, sou informada de que não há termo de pesquisa. Portanto o que vos trará até cá? Será possivelmente um enigma.  Apesar deste tempo todo que já foi percorrido, "tantos dias, tantas horas", continuo a surpreender-me com (...)

17

17.03.21, Alice Alfazema
Ilustração Artem Chebokha    Há palavras que nos beijamComo se tivessem boca,Palavras de amor, de esperança,De imenso amor, de esperança louca.Palavras nuas que beijasQuando a noite perde o rosto,Palavras que se recusamAos muros do teu desgosto.De repente coloridasEntre palavras sem cor,Esperadas, inesperadasComo a poesia ou o amor.(O nome de quem se amaLetra a letra reveladoNo mármore distraído,No papel abandonado)Palavras que nos transportamAonde a noite é mais forte,Ao (...)