Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Fim do ano

Espreitar

29.12.19, Alice Alfazema
  Ilustração Giuliana Marigliano   Fui espreitar o que restou do ano, como sempre não sei escolher nada, não dou muita importância a fazer esta retrospectiva. Prefiro fazê-lo diariamente. Vinte e quatro horas é o que me basta.   

Abraça-me

💋

28.12.19, Alice Alfazema
  Abraça-me. Quero ouvir o vento que vem da tua pele, e ver o sol nascer do intenso calor dos nossos corpos. Quando me perfumo assim, em ti, nada existe a não ser este relâmpago feliz, esta maçã azul que foi colhida na palidez de todos os caminhos, e que ambos mordemos para provar o sabor que tem a carne incandescente das estrelas.     Abraça-me. Veste o meu corpo de ti, para que em ti eu possa buscar o sentido dos sentidos, o sentido da vida. Procura-me com os teus antigos (...)

Dezembro - Dia 25 - Vida

25.12.19, Alice Alfazema
    Vida. Tudo pode ter sido dito para esta palavra, há muitas vidas dentro da mesma vida, mas o mais importante é a conclusão, é nela que vais pensar, o que quero ser? Ou como quero ser recordado? Acordai hoje é dia de começar a celebrar!

💋Memória

25.08.19, Alice Alfazema
    Aí, de repente, os meus olhos se abriram, e vi como nunca havia visto. Senti que o tempo é apenas um fio. Nesse fio vão sendo enfiadas todas as experiências de beleza e de amor que passamos. Aquilo que a memória amou fica eterno. Um pôr do sol, uma carta que recebemos de um amigo, os campos de capim-gordura brilhando ao sol nascente, o cheiro do jasmim, um único olhar de uma pessoa amada, a sopa borbulhante sobre o fogão de lenha, as árvores de outono, o banho de cachoeira, (...)