Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Março dia 22 - Mulheres que carregam água

22.03.17, Alice Alfazema
O acesso à água potável ainda é um desafio diário para grande parte das populações do mundo.     Uma enorme fatia da  população mundial não tem acesso a água potável.      As mulheres gabras do norte do Quénia gastam até cinco horas diárias carregando água, levando os pesados recipientes nas costas.       No Paquistão, mulheres carregam água nos arredores de  Islamabad.       Por muitos sítios são as mulheres que têm a dura função de levar a (...)

A mesma coisa

27.05.15, Alice Alfazema
  Fotografia Mona Holmo   Deixo-vos aqui um pedacinho daquilo que estou a ler:   (...) vi umas cascatas enormes. A mais alta tem 408 metros e a água cai de lá de cima como uma cortina atirada do topo da montanha . Ela não parece descer rapidamente, como seria de esperar: devido à distância, parece descer muito devagar. E a água não parece descer num fluxo único, mas antes separada em muitos (...)

O mar

24.05.15, Alice Alfazema
  Tenho o mar a amanhecer-me no meu quintal aquele onde sorrateiramente também tenho uma janela que à noite vaidosa caprichosa sabe espreitar beber tragar sorver o mar a luar-se por sinfonias de prata prateando os olhos porque os olhos, os que tenho, absorvem o desaguar da lua pelo sonho na vontade de o ver chegar   Jorge Serafim    Alice Alfazema