Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Segregação

19.07.17, Alice Alfazema

nasa.jpg

 

Numa destas tardes vi este filme, gostei muito, fala dos primórdios da NASA, de como as mulheres negras eram segregadas através da sociedade, no emprego e na forma de pensar, dá-se uma perspectiva histórica do que se vivia nos EUA,na época de 60 do século passado.

 

Podemos pensar que isto é uma atitude do passado, mas não, hoje em dia encontramos segregação social por todo o lado onde andamos, vivemos numa era moderna, mais informada, mais atenta aos problemas sociais, no entanto caminhamos a passos largos para a estupidificação humana. 

 

Se duvidas há, podemos encontrar milhares de exemplos no nosso dia-a-dia, um exemplo disso é quando vamos ao supermercado e vemos gente que pensa que tem ali uns criadozinhos porque está a pagar produtos, quem lida com o público sabe perfeitamente que tem de se distanciar psicologicamente desta praga que anda por lá. 

 

A segregação social: é o processo de dissociação mediante o qual indivíduos e grupos perdem o contacto físico e social com outros indivíduos e grupos. Essa separação ou distância social e física é oriunda de factores biológicos e sociais, como raça, riqueza, educação, religião, profissão, nacionalidade etc.

 

A segregação espacial e urbana é quando as classes sociais ficam concentradas em determinadas regiões ou bairros de uma cidade. Essa segregação ocorre em locais onde há uma grande diferença de renda entre os grupos, uns possuem todas as condições de moradia e serviços, e outros não possuem nada parecido.

 

Hoje em dia com a informação instantânea é possível a criação de notícias que nos podem levar a pensar que os pobres são culpados de serem pobres, que não se esforçaram, que não estudaram e por aí fora, entretanto são esquecidos os factores que levaram a isso, entre eles a segregação social, muitas vezes a pessoa não é admitida em determinado emprego apenas porque a sua morada é em determinado bairro, são coisas simples, mas que fazem toda a diferença. 

 

É possível também que pela função que desempenhas tenhas um maior ou menor estatuto social, daí as pessoas apenas verem a função, pensa-se então que o dinheiro ocupa inteligência, nunca se viu numa abertura de um jornal, televisivo ou outro, chamar a um político que tenha cometido crimes, de colarinho branco, de criminoso, ou de assaltante, o assaltante é sempre aquele que mexe em armas e que é violento, mesmo que as atrocidades cometidas pelos que o fazem de gravata tenham lesado mais gente, isto é segregação.

 

A manipulação da informação a favor de determinados grupos é segregação, os baixos salários são segregação, e as atitudes de discriminação também conduzem à segregação.

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema