Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Sado

07.12.14, Alice Alfazema

o sado visto de longe.JPG

 És um espelho prateado
Quando a lua te irradia
O teu perfume doce e alado
Dança no vento em alegria

Abraças quem te visita
E mostras a tua riqueza
E só quem te vê acredita
Que beijas a natureza

Meu Sado, meu Sado
Manto azulado
Pedaços de Mar
Hino á alegria
Seja noite ou seja dia
Eu irei sempre te amar

Meu Sado, meu Sado
Pelo sol coroado
Meu rio da sorte
Em tudo és diferente
Até a tua corrente
Vai do Sul para Norte

Ofereces a brisa á cidade
Mal acorda um novo dia
E frutos da melhor qualidade
Com sabores a maresia

Na bela praia de Tróia
Tens o altar da Protectora
Meu Sado tu és a jóia
Do Rosário da Nossa Senhora.

 

Poema de Paula Martins, retirado daqui.

 

Alice Alfazema