Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Remelas dentro da vista

27.11.18, Alice Alfazema

 

Eles julgavam que o casamento era assim como um bolo instantâneo, tinham o pó e apenas precisavam juntar os ovos e o leite. Inscreveram-se no programa e deram o seu perfil, ou disseram como eram, ou disseram aquilo que queriam ser, ou então o que julgavam ser. Cozinharam-se os perfis, os gostos e os desgostos, as idades e os sonhos. Vieram especialistas e analisaram aquilo tudo, etiquetaram as peles e os aromas e vislumbraram o casal perfeito, a metade da outra metade. Tal qual um puzzle. 

 

 

Julgaram então que estava tudo encaminhado. Mas o que podemos fazer com uma metade? Nada. Se és metade não és inteiro, nem sabes bem o que és quanto mais o que queres. E veio a desilusão, porque não havia intenções de nada.

 

 

Viveram então dias de estrelas de cinema e sorrisos esticados no rosto. E foi tudo. 

 

Ilustrações  Tran Nguyen

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.