Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Porque o Dia da Mãe é sempre que um filho quer

28.04.21, Alice Alfazema

 

 

Mãe descobri que o tempo pára

E o mundo não separa o meu coração do teu

Eu sei que essa coisa rara

Aumenta, desassossega mas pára

Quando o teu tempo é o meu

 

Mãe canta com vaidade

Porque já tenho idade

Pra saber

Que em verdade em cada verso teu

Onde tu estás estou eu

 

Mãe contigo o tempo pára

Nosso amor é coisa rara

E cuidas de um beijo meu

Sei que em cada gesto teu

Está teu coração no meu

 

Mãe canta com vaidade

Porque já tenho idade

Pra saber

Que em verdade em cada verso teu

Onde tu estás estou eu

 

Se pudesse mandar no mundo

Parar o tempo à minha vontade

Pintava teu coração com as cores da felicidade

Em cada gesto teu

Está teu coração no meu

 

Mãe canta com vaidade

Porque já tenho idade

Pra saber

Que em verdade em cada verso teu

Mãe...

A nossa espera valeu

 

Poema de Martim Nunes Ferreira

3 comentários

Comentar post