Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Outono e arte

12.11.16, Alice Alfazema

 A criatividade e a demonstração dos diversos tipos de arte são o motor do mundo humano, sem ela seríamos tão tristes e não daríamos valor às cores, aos pormenores que se encaixam no nosso quotidiano. Permitir um mundo sem arte é abandoná-lo, suprimir a imaginação é violência. A arte permite abrir novos caminhos, permite sonhar e entrar no sonho, arte não é menor que as matemáticas da moda.

 

Todos os dias a arte lembra-me de coisas alegres, recorda-me emoções, faz-me avançar na alegria, a arte é partilha sem preconceito nem consentimento, é algo luminoso, é alimento para caminhar neste pântano social que os média reinventam todos os dias. A arte permite, tal como o Outono, a renovação da esperança, das cores, das ideias, permite descanso, inovação, é como uma árvore que cresce e muda de cor e de folhas e que permite sombra e abrigo, permanecendo ou não naquilo que somos.

 

As ilustrações são de Simona Ceccarelli

 

 

Alice Alfazema