Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Os fracassados

28.07.21, Alice Alfazema

mind.png

Ilustração Andreas Preis

O fracasso assola o nosso dia a dia, em todas as dimensões da nossa vida. Por causa do fracasso não se muda de opinião, de visual, de amizades, de amor, de emprego, de sonho. É pelo fracasso que nos esvaímos em stress e ansiedade. É pelo fracasso que não tentamos. É pelo fracasso que nos acomodamos à dor. É pelo fracasso que vemos os que tentam e fracassam, mais fracassados que os que nunca o fazem. 

No entanto, os fracassados são gente cheia de garra, fortes e resilientes, porque se expõem ao embate das opiniões, do medo,  e até da sua própria mente. 

Antes de nos vermos como vencedores devemos ser capazes de nos vermos como fracassados, até que a nossa mente se despoje de toda e qualquer emoção que gere dúvida e perda. Fracassar é algo natural no processo de aprendizagem de um vencedor. Vencer exige determinação e por vezes dor, mas fracassar exige muito mais que isso. 

6 comentários

Comentar post