Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

O peso

09.06.15, Alice Alfazema

(...) As sedas abandonadas dos animais alastram-se

no tutano das constelações aguçadas

                                        pelos soluços das pegadas mareantes

                              e as manadas desertoras ejaculam gérmens nos

interstícios espremidos dos salões nucleares

                como fagulhas babélicas a dedilharem nos soldados-

cantores das grutas                    

                                                onde as fibras embevecidas das

descendências aprofundam os circuitos dos chifres planetários (...)

 

 Luís Serguilha

 

 

Alice Alfazema