Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Miradoiro

05.01.19 | Alice Alfazema

49252322_2250463755194206_4624469889799684096_n.jp

 

Pintura Isabel Alfarrobinha

 

A vida só é possível
reinventada.

 

Anda o sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas…
Ah! tudo bolhas
que vem de fundas piscinas
de ilusionismo… — mais nada.

 

Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

 

Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

 

Não te encontro, não te alcanço…
Só — no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só — na treva,
fico: recebida e dada.

 

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

 

 

 

Cecília Meireles

 

Onde fica este miradoiro?

 

2 comentários

Comentar post