Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Metáfora da ambição

10.08.15, Alice Alfazema

Vivia aquele freixo no alto do monte,

Verde e robusto; apenas o tocava

O brando vento, apenas o deixava

De abraçar pelos pés aquela fonte.

 

Tão soberbo, depois levanta a fronte,

Como pavão, do bosque donde estava,

Invejoso de ver que o mar cortava

Um pinho que nasceu dele defronte.

 

Ora saiu da terra e foi navio,

Lutou c´o mar, lutou c´o vento em guerra:

Quedas viu ser o que esperava abraços...

 

Ei-lo que chora em vão seu desvario.

De longe a vê, chegar deseja à terra:

Não lh´o consente o mar, nem em pedaços!

 

 

D. Francisco Manuel Melo, As segundas Três Musas

 

 

Alice Alfazema