Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Eu refilona me confesso

06.08.14, Alice Alfazema

Ilustração Simona Ciraolo

 

Num dia destes, estava eu num refilanço genuíno, quando me lembro de que há quem diga que fui feita a refilar, irrita-me. Eu gosto de refilar. Gosto tanto como de me rir. Gosto desta imagem que é tal e qual o refilanço puro em silêncio. Em conversa, a semana passada, afirmei que quando morrer ainda hei-de ir a refilar dentro da caixa, com uma mão de fora, mas depois lembrei-me que quero ser cremada, diz-me uma colega, não te preocupes, ainda tens o caminho até ao crematório para refilares. Rimos a bandeiras despregadas.

 

Alice Alfazema

10 comentários

Comentar post