Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Estratificação social

às camadas

27.06.20, Alice Alfazema

IMG_4220.JPG

 

 

1.
ama os teus sonhos
como o teu próximo

ou como os sonhos
do teu próximo

mas se o teu próximo
não tiver sonhos

convém mandar o teu próximo
para muito longe

donde não te possa
contaminar

 

IMG_4222.JPG

 

2.
não atravesses a rua
(ou a vida tanto faz)
com palavras ameaçadas de medo

leva em vez delas
um límpido silêncio onde
possas nascer para o dia claro
que se anuncia
nas janelas do quarto

não regresses à rua
(ou à vida tanto faz)
com gestos grisalhos de medo

leva em vez deles
um derradeiro aceno se
for caso disso
entre as dobras do sono
de quem ao. longe está
a ser feliz doutra maneira

e se no teu olhar houver um rio
a apressar a partida
não hesites

mas por favor
não atravesses a rua
(ou a vida tanto faz)
com madrugadas contagiadas de medo

 

IMG_4230.JPG

 

 

 

Poema Alice Vieira, in O lado de Dentro, do Lado de Dentro.

 

 

10 comentários

Comentar post