Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diário dos meus pensamentos (27)

15.04.20, Alice Alfazema

No outro dia li algures que devemos escrever com conteúdo, faz-me lembrar as embalagens de arroz que tenho na despensa, todas têm conteúdo, estão cheias, mas haverá quem não goste de arroz, aí passamos para a massa, e por aí fora. Conteúdo pode ser sempre a mesma mistura tal como fiz com as pataniscas de ontem, a diferença foi que não as fritei em óleo, mas o resultado final foi o mesmo. Conteúdo é assim uma fórmula base que vai servir para alcançar o que se quer. E se não tivermos conteúdo? Se formos assim como aqueles quadros que cada um vê aquilo que quer, deixamos de ter conteúdo? Ou conteúdo deve ser para os especialistas, tal como os pasteleiros que têm uma massa base para começar um bolo, depois a partir daí inventam. 

 

 
Digam-me lá qual é o conteúdo destas?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.