Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Diário dos meus pensamentos (22)

10.04.20, Alice Alfazema

IMG_0176.JPG

 

Sabes, passo pelas pontes sem as ver.
Talvez o rio abundante se tenha já secado.
Vieram chuvas risonhas que murmuraram
Segredos e promessas. Partiram velozes
Os sussurros. E as promessas.

Sabes, o cais onde atracam barcos e
Pessoas apressadas que levam sonhos
E moradas nas algibeiras, fica desgarrado
Quando todos partem de olhos pejados de azul.

Sabes, certa noite, silenciosa e confidente,
Pois nela me acolhi, na fresta entre duas
Tábuas do chão gasto, era branco um papel dobrado.
Abri-o como quem descobre um segredo. E li.
Um dos homens mais apressados, daqueles
Que estão sempre com as horas nas mãos,
Deixou cair de entre o seu amor às oportunidades
Um pequeno e terno recado.
Esqueceu-se que dentro dos papéis
É que se escondem os sonhos…

 

 

 

Poema Lília Tavares, in Evocação das águas

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.