Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Cu-cu, cu-cu

Onde está o cuco?

12.10.20, Alice Alfazema

realidade.jpg

Ilustração Dean Stuart 

 

É sempre surpreendente ouvir falar do vírus coroninha 20-20, hoje ouvi dizer que sobrevive quase um mês no escuro e no frio, não gosta do calor do Sol, nem dos tecidos de algodão, gosta de superfícies suaves. É um vírus muito esperto, ultrapassa qualquer outro quando dissecado em estudos e opiniões. Sendo assim, ficamos a saber que dá-se bem em modo confinado, dormindo em lençóis de cetim e comendo sorvetes de queijo flamengo. 

 

 

Em minha terra
o rio corre entre janelas
o quintal e a sala
entre a cintura da ponte
e murchas moitas de capim.
Um arremesso de manga
arma pontas de rochedos
e bruscos velames de ondas.
Os ecos do sol consome
mas sombras que se distraem
com acrobacias nas águas.
 
 
Não há no mundo
nem mesmo em outro
lugar de Minas
águas que voam nos ares da ave
e se fazem rio
de finas e castanhas asas
de pomba.
 
 
 
 
Poema de Lina Tâmega Peixoto
 
 
 
 

2 comentários

Comentar post