Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Crime ambiental no Rio Sado

Janeiro 2021

22.01.21, Alice Alfazema

SOS_SADO1-1.jpg

Faltam-me as palavras para descrever o que está a acontecer no Rio Sado, uma torrente de lama cobre agora tudo o que encontra no seu caminho, é a morte a assolar tudo o que lhe aparece pela frente. São lamas de dragados, que soterram o sapal, e a zona envolvente, que tornam o Estuário do Sado num lodaçal putrefacto, matando as espécies que dele dependem, empobrecendo de uma maneira feroz a biodiversidade já de si frágil. 

SOS_SADO3-1024x692.jpg

Devastando a produção ostreícola adjacente, a recolha de marisco e a desova do choco. Ali, mesmo ali, começa o território delimitado pela convenção internacional Ramsar, que visa proteger zonas de habitat de aves aquáticas. Estas lamas ameaçam invadir os lençóis aquíferos que alimentam a vegetação da zona e colocar em causa todo este habitat. 

SOS_SADO4-1024x683.jpg

Tudo isto demonstra um desrespeito assustador pela biodiversidade, com a conivência de quem deveria proteger um património que é comum a todos nós. À vista de todos, manipula-se a inversão das prioridades, deixando para o futuro, que pode estar demasiado próximo, a criação de soluções alternativas à já mais que ultrapassada "revolução industrial", onde tudo se destruía a preceito da bandeira erguida como economia e progresso. 

SOS_SADO5-1024x683.jpg

Mais do que confinados em casa, estamos cada vez mais confinados de pensamento, sem ação nem dever cívico, que a troco de uns quantos miúdos vendemos a eito a nossa sobrevivência. Pergunto-me: O que têm agora para dizer os especialistas que fizeram os estudos de impacto ambiental e os que aprovaram estes planos de inovação e empreendedorismo? Chegam denuncias de lamas que se alastram até Alcácer do Sal, a cerca de 25 km de distância da praia da Mitrena, local onde começou o derrame de lodo.  

É desolador olharmos para estas imagens, mas ainda mais é o silêncio envolto em tudo isto. Envergonha-me ver esta desresponsabilização por parte de quem nos devia dar o exemplo.  

 

As fotografias são de:  SOS Sado

142583023_3637867246320982_5803512189055458262_o.j

sado.jpg

sado1.jpg

sado4.jpg

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.