Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Conversas da escola - O batente

07.03.18 | Alice Alfazema

O senhor exterminador veio até ao nosso humilde estabelecimento, foi chamado de urgência para solucionar um possível problema. Chega na hora do intervalo, pessoas ao balcão... com a sua mala, que parece de ferramentas,  entra pelo estabelecimento adentro e quase grita, mais rápido que isto não há. Da sua mala retira uma seringa grande e ergue-a acima da sua cabeça procurando por todo lado, por onde é que elas andam? As pessoas olham atordoadas, imaginando mil cenários e ele ali, alto e pró cheio, de óculos a meio do nariz, onde é que elas estão? Os meus neurónios param durante uns instantes, tento reuni-los e indico-lhe o sítio onde as avistei. Aí vai ele de seringa em riste. Aplicou, aplicou, aplicou...diz-me depois que vêm da cozinha, que se tem de por um batente na porta para elas não entrarem. Pergunto: batente? Sim, batente, sabe o que é não sabe? Claro, assim elas não podem entrar. Depois foi sentar-se a fazer o relatório da sua intervenção cirúrgica. Pergunto-me quantos indivíduos terá matado, quantos terão fugido e quantos terão ficado feridos. 

 

Resumo: Foi efectuado tratamento contra formigas no bar e refeitório. Durante o mesmo foram detectados alguns indícios de formigas.

 

 

Alice Alfazema

1 comentário

Comentar post