Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Conversas da escola - Despacha-te

19.05.18, Alice Alfazema

Está calor e é tempo de saborearmos um geladinho, mas - por vezes existe um mas - temos um horário rígido para a venda de gelados, só os vendemos a partir das quatorze e trinta. No entanto, a partir das duas da tarde já a malta anda de roda do balcão para ver se cai alguma coisita:

 

 

- Ó Contina a que horas é que se pode comprar gelados? 

- Vá lá! Está quase na hora.

- Mas porque é que tem de ser a essa hora?

- É só hoje. Vá lá...

 

E por aí a diante. Não adianta explicar porque insistem em contornar a coisa. Assim, adoptou-se outro sistema:

 

- Ainda não há gelados porque a arca tem uma tranca que só abre às 14:30h.

está programada para isso?

- Está, por isso não podemos fazer nada.

- E como é que ela destranca? Faz barulho? 

- Sim, é com o Despacito. (nesta parte canto um bocadinho da música)

 

Ironia das ironias, aproxima-se a hora, chega uma miúda ao balcão e pede um gelado, na t-shirt branca que tem vestida trás escrito em letras pretas e grandes: Des - pa - cito.

 

- Estão a ver?! Já está na hora!

Digo eu apontando para a t-shirt da rapariga.

 

 

 

Despacha-te queremos comer gelado!

 

 

2 comentários

Comentar post