Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Assédio

07.05.21, Alice Alfazema

A Sofia Arruda declarou publicamente que foi assediada no seu local de trabalho, a partir daí várias mulheres deram a cara e assumiram que também já tinham sido assediadas no local de trabalho, sendo que isto por si só já é de uma violência emocional para as vitimas, podemos imaginar então a dificuldade em ultrapassar este sofrimento psicológico, o medo, e até a culpa que a própria vitima carrega. 

Toda esta situação, dirão alguns, que acontece e vai acontecer sempre, será verdade certamente, mas o que me surpreende, são os especialistas comentadores, vejo as caixas electrónicas cheias de comentários a referirem que "isto agora é moda", "porque não dissestes antes", "se fosse um gajo giro era engate", e por aí fora...existe assim um mar de gente que agride moralmente estas mulheres (neste caso), a isto chama-se assédio moral, achincalha-se assim sem se ter conhecimento de nada, gratuitamente, com uma fúria de prazer sórdido sobre o outro. Numa arena tecnológica onde os gritos mórbidos e estridentes são teclados sem consequências de maior.

Tal como noutras formas de violência, a vítima é vista muitas vezes como culpada, no entanto, as vítimas são quem sofreu o maior dano ou prejuízo. E teclar para achincalhar é mais uma de entre outras formas de violência, nada mais que isso.  

 

10 comentários

Comentar post