Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

As passadeiras de praia

Lugares de risco

20.07.20, Alice Alfazema

praia.jpg

 

Ilustração  Marie Mainguy

 

As passadeiras de praia são lugares livres da pandemia, onde o turista pode andar livremente sem máscara, mesmo que ande a meio metro de outra pessoa que não conheça, o bicho não gosta de praia, nem sabe nadar. A areia é uma enorme aliada e protege os olhos dos perdigotos que possam querer se alojar nesses orifícios. 

 

Uma passadeira de praia nunca poderá ser considerada um lugar de risco, a não ser que haja alguma tábua solta ou partida, onde possas dar uma topada com o dedão do pé. Ali é o lugar perfeito para caminhares devagar, devagarinho, correres, ou vires em parelha de duas ou mais pessoas. 

 

De cada vez que passas por ali, sentes que é só desta vez. Até ser a vez certa. Pode até ser viciante. Todos se compreendem naquele espaço estreito e comprido, se fosse num supermercado seria diferente, mas ali à beira do paraíso, onde o bicho foge de nós a sete pés, não há problema, nem funcionários para nos infectarem, nem malta que mora em bairros problemáticos, nem gente que anda de autocarro, nem grupos de festas clandestinas.  Todos os espaços públicos deveriam de ter uma passadeira de praia, para quê esperar pela vacina? Quando a passadeira de praia está a ter tanto sucesso.

 

 

2 comentários

Comentar post